Título coloca Renato Gaúcho em hall de campeões da Libertadores como jogador e técnico

Conquistas de 1983 e 2017 fazem Renato se tornar o primeiro brasileiro a entrar no seleto grupo; outros sete nomes completam a lista

Leandro Oliveira
Redação, SP

Renato Portaluppi adotou o ‘Gaúcho’ como segundo nome e fez do Grêmio sua casa. Há 34 anos, Renato e o grupo tricolor conquistavam a primeira taça da Copa Libertadores da América, diante do Peñarol. Neste 29 de novembro de 2017, Renato conquistou a competição pela segunda vez, agora como técnico, feito inédito, até então, para um brasileiro.

Na lista total, somente oito nomes foram campeões da Libertadores como jogador e também como treinador. Humberto Marchisio, faturou a competição em 1967 como atleta do Racing/ARG e em 1973 como técnico do Independiente/ARG.

Roberto Ferreiro foi bicampeão com o Independiente/ARG em 1964 e 1965. Nove anos depois da última taça, Ferreiro comandou outra conquista do Independiente. O uruguaio Luis Cubillas foi bicampeão com o Peñarol em 1960 e 1961. Dez anos depois, foi o técnico campeão com o rival Nacional.

Juan Martin Mujica, uruguaio, venceu a Libertadores como jogador em 1971, com o Nacional. Nove anos depois foi campeão novamente com o Nacional, porém, como treinador. O argentino José Omar Pastoriza venceu em 1972 como jogador e em 1984 como técnico, ambas as conquistas pelo Independiente/ARG.

Nery Pumpido, argentino, faturou a Libertadores de 1986 como jogador do River Plate e a de 2002, como técnico do Olímpia/PAR. Marcelo Gallardo conquistou a Libertadores de 1996 como jogador e a de 2015 como treinador do River Plate.

Agora, Renato ‘Gaúcho’ Portaluppi entra para o seleto hall de campeões como jogador e técnico. Renato se torna o primeiro brasileiro na lista, com as conquistas de 1983 e deste ano com o Grêmio. Há nove anos, Renato bateu na trave com o Fluminense, mas diante do Lanús, e após uma campanha vitoriosa em todas as fases, o treinador finalmente se sagra bicampeão da Copa Libertadores.

Em dezembro, Renato terá a oportunidade de repetir o filme de 34 anos atrás, quando comandou o Grêmio na primeira e única conquista mundial com dois gols diante do Hamburgo, da Alemaha. O Imortal vai enfrentar o vencedor de Pachuca/MEX e Wydad Casablanca/MAR no dia 9 do próximo mês, na semifinal do Mundial de Clubes.

Tempo de Bola
Pautas fáceis, cotidianas e apelativas... Esse realmente não é o negócio do Tempo de Bola. Este é um projeto idealizado por jornalistas obcecados com o melhor do esporte e do jornalismo esportivo. Aqui, por meio de entrevistas, grandes reportagens e matérias especiais em formatos multimídia, você encontra as histórias e curiosidades de personagens que construíram e constroem o futebol por mais de um século e meio.
Compartilhe:

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*